4 de julho de 2012

Resumo das últimas reuniões...



Ora bem, isto de a malta entrar em fase de exames, não é fácil, por isso desculpem se não temos postado as reuniões devidamente :)
Mas para os mais curiosos, aqui vai uma ideia geral daquilo que andámos a fazer até agora…

5 e 6 de Maio – Fátima Jovem 2012
Sim, este ano fomos matar saudades do Fátima Jovem!!  =D
E desta vez, na companhia dos nossos vizinhos “Grupo de Jovens Arco-Íris” (Gafanha do Carmo)!
Foi um fim-de-semana espectacular, com muita animação, convívio, gargalhadas, pulos mas também muita adoração, reflexão e crescimento. É bom apercebermo-nos de que não estamos sozinhos nesta batalha de sermos jovens cristãos, e que na verdade são tantos os que o fazem… E como é bom poder adorar a partir da música, e exprimir o que nos vai na alma e o que Ele nos faz sentir!
É caso para dizer: “Jovens na Verdade com Maria, jovens que têm paz e alegria… Oh, oh oh! Mariiiiiiaaaaa…!J
Eheh, espreitem as fotos e vídeos no nosso Facebook em www.facebook.com/jovensnautae!

12 Maio – Preparação do Festival de Doçaria
Com a actividade já à porta, era necessário tratar de todos os pormenores, contactar as pessoas em causa e definir as coisas necessárias. Pena que no final, tivemos que desmarcar esta actividade do nosso calendário, devido a já existirem afinal actividades externas para a data que tínhamos definido, e também por falta de recursos e excesso de burocracia… Mas fica, quem sabe, uma ideia para aprofundarmos no próximo ano!

26 Maio – As dificuldades do associativismo nos dias de hoje
Nesta reunião, tivemos uma discussão aberta acerca das dificuldades de cada um como jovem nos dias de hoje, e mais especialmente como elemento do grupo de jovens. Analisámos a situação de cada membro, aquilo que hoje motiva ou desmotiva um jovem, o que correu bem ou menos bem, e partilhámos pensamentos e soluções.
Foi uma partilha bastante construtiva e que ajudou a que conhecessemos melhor aquilo que é e significa o Nautae, aos olhos de cada um.

02 Junho – Primeiros detalhes do retiro
Finalmente, decidimo-nos por uma data para o retiro, que apesar de não ser a ideal para todos, é a que mais possibilidades abre em geral: dias 27, 28 e 29 de Julho.
O retiro de final de ano, é um momento em que o nosso grupo de jovens se reúne e isola do mundo por um fim-de-semana, para reflectir e conviver. Depois de um ano de trabalho e actividades, sabe muito bem poder desfrutar do “nosso momento”, e poder oferecer aos nossos colegas um pouco de nós, na companhia d’Ele.
O tema deste ano é “Juntos, conseguimos”… Os mini-grupos já ficaram definidos, vamos ver que surpresas nos aguardam!

09 Junho –  A Vida
Esta foi a nossa primeira reunião nos novos aposentos provisórios, devido ao início das obras na Igreja da Gafanha da Encarnação.
E quem estreou a “sala” foi a Rita, que nos preparou uma reunião acerca da vida e das várias fases e facetas da nossa vida: das nossas escolhas, decisões, gostos, interesses… Que variam de pessoa para pessoa, e que nos vão formando e contruindo para o futuro. Dos grupos de amigos que já tivemos e que passaram pela nossa vida, dos caminhos que tomámos e que poderíamos ter percorrido de outra forma, das mudanças que ocorreram e que nos mudaram…
Falámos ainda acerca da situação actual do grupo, da nossa união, e da entrada dos mais recentes elementos do grupo (Gabriel, Carlos e Diogo).

16 Junho – A viagem de um Cristão
Nesta reunião, e em continuação ao tema “Vida”, fomos levados a percorrer uma viagem de barco: a nossa viagem, como cristãos. Umas vezes mais turbulenta e agitada, outra mais pacífica e calma, umas vezes sabendo a direcção que queremos tomar, outras vezes andando à deriva, vendo onde o vento nos levará… Assim é a viagem de cada um de nós, em que o vento é o próprio Deus que nos tenta levar a bom porto, e a nossa fé é a vela do barco, que quanto maior, mais vento recebe. A questão, é que quem está ao leme somos nós, e por mais que o vento sopre numa determinada direcção, ainda conseguimos controlar o barco e decidir para onde queremos ir...
Se a nossa fé for grande e se conseguirmos dar de nós próprios, conseguiremos lançar outros pequenos barcos ao mar, e incentivá-los a fazer esta viagem connosco. E mesmo apesar dos obstáculos, a camisola do cristão manter-se-à sempre vestida, tenha ela estampada a palavra Alegria, Paciência, Dar, Amor, Força ou outra qualquer… E no teu caso? Que palavra mais te caracteriza, quando vestes a camisola de Cristão?

23 Junho – E se a amizade fosse uma dança?
Em plena noite de marchas populares, este foi o momento ideal para por à prova e descobrir os talentos de dança de cada membro do Nautae. Primeiro, o aquecimento ao som das marchas: jogo dos ímans em que um dedo comandava o nariz do colega - não percam os vídeos/fotos no nosso Facebook. E depois, pés, mãos e cabeça à obra: tudo o que um fazia, o outro imitava, tal como um espelho.
Pois é, muitas vezes a amizade também  é uma dança… temos que saber escutar e falar, sabendo que na maioria das vezes falhamos porque não paramos para escutar o outro, observá-lo, estar atento ao outro. Dizemos muito de nós próprios através dos nossos movimentos e forma corporal de estar. Mas nós para conhecermos os outros, temos também que lhes dar espaço para se exprimirem.
O que pode fortificar ou diminuir uma amizade?” - foi a esta pergunta que tentámos responder por meio de mímica, num momento que realmente deu asas à imaginação e à creatividade de todos! Cabe a cada um, fazer prevalecer as coisas boas, e tentar diminuir a influência das menos boas…

30 Junho – A corda das relações
Ainda ao final da tarde, e após uma conversa com a nossa a partir daí ex-Nautae Lorine acerca das dificuldades de conciliação de tempo entre as várias tarefas que enfrenta e que a impedem de estar presente nas reuniões, começámos a reunião por formar duas equipas, para os dois desafios que se seguiam. O primeiro, era o tradicional jogo da corda em que cada equipa puxava para o seu lado e que terminou com um empate. Já no segundo, 5 elementos da equipa tinham que conseguir colocar uma caneta dentro de uma garrafa plástica no mínimo tempo possível, sendo que a caneta estava suspensa por fios interligados entre todos os elementos. O resultado e as reacções foram muito engraçadas!
Também na nossa vida, todos temos tendência a puxar os outros para a nossa vontade, olhando apenas para o nosso umbigo e para os nossos interesses. E o que acaba por acontecer é que arrastamos os outros apenas para aquilo que nós queremos, independentemente se os fazemos cair ou se lhes passamos por cima, apenas para podermos vencer. O mesmo acontece num grupo, quando cada elemento está a puxar para direcções diferentes e interesses diferentes: o grupo acaba por estagnar e não sair do mesmo sítio, ou, pior, acaba por deixar cair elementos.
Assim, na nossa vida e nas relações que mantemos, temos que saber agir como o jogo da garrafa: focarmo-nos todos num mesmo objectivo e lutarmos por o alcançar, unidos por laços ou fios, sem deixar ninguém de parte pois todos são necessários para que a caneta se mantenha de pé.
Qual é para ti o simbolismo da garrafa? Pois bem, tanto poderá ser a Fé, como tentar sermos melhores pessoas, ou aproximarmo-nos mais de Deus, ou até mesmo tentarmos passar pela Porta Estreita… mas é muito mais fácil, quando tentamos fazê-lo com alguém ao nosso lado.
Juntos como comunidade, como jovens, como cristãos, como amigos, como grupo...

0 comentários:

Publicar um comentário