25 de outubro de 2010

Quem sou eu? Quais são as minhas máscaras?

Na reunião do dia 23, debruçámo-nos sobre o tema: "Máscaras da vida - sabes realmente quem és?".
Trata-se de um tema que deu muito que pensar, e cujas opiniões se revelaram ou muito semelhantes ou muito distintas. Saber quem somos tornou-se num enorme desafio...
"Porque fingimos sempre ser quem não somos?" Quer na escola, quer na universidade, quer na equipa de desporto, quer no trabalho, quer no grupo musical, quer no grupo de jovens. Existem sempre momento em que, consciente ou inconscientemente não agimos da forma como o nosso ”eu” nos diz e sente... Em diversas ocasiões da nossa vida e até do nosso dia-a-dia, tentamos de tal forma integrar-nos na sociedade e num determinado grupo, que acabamos por "mascarar" a nossa personalidade para nos conseguirmos adaptar a ele. Tentamos mostrar-nos sempre mais independentes e corajosos do que realmente somos, escondendo as nossas fraquezas, receios e tristezas, para que não tenhamos que lidar com o gozo ou pena dos outros. Ou, por outro lado, tentamos mostrar-nos exageradamente frágeis e cheios de complexos, para que tenhamos a atenção deles, porque nos falta carinho em casa.
"Porque valorizamos tanto o que os outros pensam de nós?" Somos seres em sociedade, e como tal é natural que sintamos necessidade de conviver e estabelecer contacto com os outros. Mas também devemos ter em conta que defeitos todos nós temos: todos temos os nossos receios, as nossas inseguranças, as nossas dúvidas... todos já cometemos erros na vida, fizemos coisas que dissemos nunca fazer, e temos os nossos telhados de vidro... então, porquê esse medo de nos mostrarmos aos outros? Porque nos preocupamos tanto com o que acham de nós?
Se vivermos sempre com isto no pensamento, então o nosso comportamento fica à mercê da sociedade, e teremos que o alterar cada vez que estivermos com um grupo de pessoas diferentes... E viveremos a vida querendo ser sempre o que os outros esperam de nós. E quando nos virmos ao espelho, já não saberemos se a pessoa que vemos é mais uma máscara ou o nosso "eu": acabamos por acreditar na pessoa que vemos, e não conseguimos mais ver a essência por trás dela. E ao nosso redor, vemos também muitas pessoas... mas não estarão também elas mascaradas? Não ficarás tu, assim, rodeado de pessoas que não te conhecem, a viver uma vida que não é realmente a tua?
Sê como Deus te fez... ama os teus irmãos como Deus te pediu... Ele é o teu oleiro, aceita apenas as modificações que te podem aproximar mais do Seu Amor e da sua graça... Só por Ele vale a pena mudar!

3 comentários:

Olaaaa!
Gostei muito do blog...já não vinha cá há algum tempo...Sim sou uma nauteana despassarada xD
Tenho de pena de não ter ido á ultima reunião..mas este sábado vou tentar mesmo ir!!
Beijinhoos e Abraçoos*
 
Ai ai que és mesmo despassarada... então as pessoas já não se identificam nem nada? ;) lool... Mas toma lá um abracinho bem forte à mesma!! [[]]
=)
 
Apesar de não poder ter ido á reunião, onde se debateu este tema: quem somos.. gostei daquilo que vi agora no blog.. gosto muito do trabalho aqui exposto que demorou horas a fazer( não foi Sara?). Beijiinhos, ass: Verónica NAUTAE
 

Publicar um comentário